O dia em que John Lennon furtou uma guitarra

Entre 26 e 31 de outubro de 1959, Carroll Levis realizava as eliminatórias do concurso “Star Search”, no Liverpool Empire. Apesar de John afirmar que o ritmo da banda estava nas guitarras, não ter um baterista não deixava o grupo ir muito longe. Para ocultar esse problema e conseguirem ter alguma chance no concurso, eles se apresentaram como um trio vocal. John estava no meio, sem guitarra, com George e Paul aos lados. George, destro, ficava ao lado direito de John. E Paul, canhoto, ficava ao lado esquerdo. Assim, inteligentemente, os braços dos instrumentos ficavam virados para lados opostos, enquanto John Lennon cantava com as mãos nos ombros dos amigos.

2

Além da apresentação com um contato físico tão intimo, o que era inovador, eles decidiram dar um fim definitivo no que ainda restava de skiffle na banda: o nome. Johnny and the Moondogs fora escolhido às pressas, para o Carroll Levis Show, provavelmente uma homenagem ao programa de rádio da WJW, “The Moondog Show”, de Alan Freed. Nomes assim, com um líder, eram comuns naqueles tempos, como Cliff Richard and the Shadows. Quase que naturalmente, se o grupo precisava de um líder, este seria John Lennon. Com um nome e um líder definido, eles partiram para as eliminatórias, no dia 18 de outubro, o segundo domingo de competição. Com uma apresentação vocal brilhante, que mais tarde se tornaria mundialmente conhecida, John, Paul e George se classificaram para as finais em duas semanas de apresentações e, depois de mais uma eliminatória, Johnny and the Moondogs fora finalmente classificado para a grande final, em Manchester. No dia 15 de novembro de 1959, o Manchester Hippodrome recebia um número excessivo de candidatos, ocupando o dia inteiro só para fazer a inscrição obrigatória. Segundo Ray Ennis, do Swinging Blue Jeans, “chegamos lá de manhã, e havia uma fila que dava a volta no local. Eram centenas de jovens, todos arrastando instrumentos e amplificadores. Já eram 4 horas e ainda não havíamos entrado”.

1

John, Paul e George partiram de Liverpool em um trem, levando consigo um pequeno grupo de amigos, conseguindo chegar em Manchester na hora exata do ensaio. “Ficamos nos bastidores esperando o público entrar”, conta Arthur Kelly, um dos amigos. “Então fomos para a frente da plateia, para assobiar e aplaudir com toda a força. Assim, o palmômetro poderia atingir o nível mais alto possível”. A banda tocou “Think It Over”, de Buddy Holly, com John no vocal principal. A apresentação foi espetacular, deixando os integrantes completamente confiantes em uma possível vitória. Porém, o sistema do Carroll Levis Show consistia em que, no final das apresentações, cada grupo voltava para o palco e repetia um pequeno trecho de seu número, enquanto a platéia fazia seu ultimo julgamento, aplaudindo conforme sua avaliação no final do trecho. O grupo mais aplaudido, no final das reapresentações, seria o grande campeão. 

3

O sistema de julgamento de Carroll Levis acabaria tirando qualquer chance do Johnny and the Moondogs ganhar a competição. Como eram rapazes pobres de Liverpool, não contavam com nenhum tipo de transporte especial para se locomoverem, não poderiam perder o último trem de volta para casa. O último trem partia às 21h47 e, com menos de 1 libra no bolso, eles ficavam cada vez mais nervosos com a situação a cada nova reapresentação e aplausos. Às 21h20, mais de uma dúzia de grupos estavam esperando para a apresentação final, o que era muito para permitir que voltassem ao palco mais uma vez antes do trem partir. Desiludidos com a oportunidade de aparecerem na televisão, eles decidiram pegar suas coisas e irem embora. Enquanto John, Paul e George saíam em silêncio, ouvindo ao fundo os aplausos da plateia, eles toparam, na saída do palco, com vários instrumentos empilhados. Os instrumentos eram dos grupos que estavam se apresentando naquela final. Sem nenhum tipo de vigia por perto, John ficou olhando para as guitarras e, quando chegaram perto da saída, ele simplesmente pegou uma das guitarras e saiu às pressas do local. 

4

Foto por Jean Catharell.

A guitarra era uma Dallas Tuxedo e, depois de entrar em Mendips – casa que John morava com sua tia –, ela não sairia da porta para fora por décadas. Em agosto daquele ano, John havia comprado outra guitarra, paga por sua tia. Logo, a Tuxedo acabou não sendo usada em apresentações, não deixando pista alguma para o verdadeiro dono da guitarra reencontrá-la. Em 1996, construtores encontraram alguns itens no sótão, completamente empoeirados pelo tempo. Ernest Burkey se mudara para Mendips na década de 1960, quando John comprou outra casa para tia Mimi, já que Liverpool se tornara muito desconfortável para a mulher que criara o beatle. Não sendo um fã dos Beatles, Burkey não havia chegado perto do sótão, com medo do que poderia encontrar ali. Ernest chegou a declarar à imprensa local sobre os fãs que vinham importunando sua privacidade pedindo para entrar na casa. Nem mesmo Yoko Ono podia passar do portão para dentro. Em algum momento de 1996, Ernest Burkey abriu o sótão para um colecionador e fã dos Beatles, presenteando-lhe com a guitarra Dallas e duas revistas de banjo que, provavelmente, pertencera à mãe de John e que ele usara no começo de sua educação musical. Depois de descoberta, a guitarra foi posta em exibição na The Beatles Story.

tuxedo06

Foto da guitarra furtada no quarto de John, que era usado como depósito pelo novo proprietário.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s